sexta-feira, 12 de outubro de 2012

E viva a criança brasileira!

Se eu mostrasse à minha doce Isabela, hoje com 2 anos e 4 meses, figuras mundialmente conhecidas como o Mickey, o Pateta ou o Pato Donald, até pouco tempo atrás ela não teria a menor ideia de quem se tratava! Hoje, graças a uns livrinhos de historinhas com as famosas Princesas da Disney e a um jogo americano com a Gatinha Marie, esse quadro já mudou um pouco... Mas, desde bem cedo, eu jamais precisei sequer apontar algumas figuras para as quais, de longe, minha garotinha já acenava, tremendo-se de alegria, anunciando seus nomes bem nacionais:
Pexonaaata! Gainhaa Pintinhaaa! Patatáááá! Cocoicóóó!

Confesso sentir um gostoso orgulho de ver isso acontecer, uma vez que minha infância não possuía quase nenhuma referência nacional para a criançada a não ser o Sítio do Picapau-Amarelo e, posteriormente, o Balão Mágico, na Globo, e os Quadrinhos ou alguns desenhos em vídeo da Turma da Mônica. Nada contra a minha gostosa memória afetiva em torno dos super-heróis estadunidenses e dos personagens Disney dos meus adoráveis anos 80 (aprendi a ler com as revistinhas do Pato Donald!), e longe de mim qualquer xenofobismo - minha menina também é cercada pelos canadenses Backyardigans, pela "latino-norte-americana" Dora (com quem até se parece bastante...) e pelos adoráveis ingleses Pocoyo (cujos pulinhos, ultimamente, ela não para de imitar) e MisterMaker (com quem ela aprendeu as formas!)! Mas não há nada melhor que ver coisas diretamente ligadas a sua cultura fazendo sucesso e gente do seu próprio idioma crescendo profissionalmente, juntamente a seus filhos, com trabalhos bem feitos e que já viraram febre entre os menores, desbancando mesmo medalhões globalizados há décadas...

Melhor ainda quando alguns desses personagens o próprio pai já conhece há bastante tempo: é o caso da turma do Cocoricó, da TV Cultura, que, mesmo já grandinho quando do seu surgimento na TV, acompanhei muito daqueles deliciosos programas infantis cheios de canções inteligentes (a maioria de autoria do mestre Helio Ziskind) e de referências ao bom viver do campo com seus personagens inesquecíveis  Júlio, Zazá, Alípio, Mimosa, Vovô... Que, com o passar do tempo, foram ganhando a companhia de tantos outros, que, hoje, são citados pela minha menininha com a maior facilidade ao ver e rever seus programas  ela mesma, muitas vezes, não dorme sem ouvir a "Música do Porquinho" Astolfo:  "E se meu brinquedo caíííísse..."!

Mas a coleção de agarradinhos da turminha do paiol têm uma "rival" à altura no coração da minha pequena: se as galináceas Lola, Lilica e Zazá são adoradas em suas cores vivas, o que dizer de uma outra galinha azul e cheia de pintinhas? Fenômeno infantil legitimamente nacional e livre das antigas amarras de insuportáveis Xuxas midiáticas e suas discípulas oportunistas, a Galinha Pintadinha entrou meio que sem querer no mercado de vídeo infantil e, já em seu volume 3, conta com milhões de DVDs e Cds vendidos - afora um universo de produtos licenciados, tais como xampus, lancheiras, mochilas, brinquedos... Viva a Galinha Pintadinha, animação simples e bonita por sobre clássicas cantigas infantis, cujo primeiro DVD foi dado pela vovó-madrinha, minha mãe Dilena, que iniciou minha filha neste "vício", e cujo álbum de figurinhas virou quase uma adoração não só para a filha, como para a própria mãe Jandira, viciada em trocar figurinhas do álbum da Pintadinha com as outras mães do condomínio!


Mas nem só de galinhas vive o mercado nacional: correndo por fora (ou seria melhor "voando"?) tem um peixe agente secreto que, graças a seu traje especial voador, mistura de escafandro e roupa de astronauta, transita livremente debaixo d'água e acima da terra, ao lado de Marina, uma garotinha, e de Zico, um macaco, dentre outros amigos no "Parque das Árvores Felizes" (bem inspirado pelas lindas paisagens cariocas/brasileiras)... É o Peixonauta, produção genuinamente brasileira da TV Pinguim lançada em 2009 em parceria com o canal Discovery Kids e que, tal como sua amiga penosa, já possui uma interminável leva de produtos licenciados e uma legião fãs pequeninos - bem, no meu caso, nem tão pequeno assim... Afinal, para a minha menininha ver algo, gosto de acompanhar sempre que posso, vendo a qualidade do que está sendo exibido e, por isso, muitas vezes, acabo ficando fã: "Olha a POP, filha: vamos bater palmas para abri-la?"

Falando nisso, ela e eu descobrimos juntos esse adorável peixinho brasileiro por meio de outros maravilhosos personagens igualmente brazucas: antes mesmo de assinar TV a cabo e ter o DiscoveryKids ou o Nick Jr. 24 horas por dia à disposição (mas, claro, com controle de horas/dia para a filhota assistir), Patati e Patatá, adorável dupla de palhacinhos coloridos ressuscitados pelo Silvio Santos num programa de muito sucesso, Carrossel Animado, já dominavam a metade das manhãs da gurizada e começavam suas atrações com o adorável peixinho agente secreto, bem na hora do acordar da minha garotinha...


E hoje, no dia das crianças, não poderia ser diferente: o presente da filhona foi o "Painel Mágico" da Galinha, com todos os seus ímas, letras e números que tanto já fascinam Isabela 
   bem, admito que terei que trocar o brinquedo amanhã, tamanha a má qualidade de muitos elementos integrantes (inclusive a própria lousa, que veio com graves defeitos e empenamentos)... Reflexo da ainda incipiente qualidade técnica da nossa indústria emergente e incapaz de acompanhar o ritmo do mercado infantil?! Não saberia dizer... Só sei que acompanho este universo infantil 'made in Brazil' e me pego feliz, contemplando minha filhota pela casa com o seu "carrinho de compras" 'Pag Lev' cor-de-rosa cheio de agarradinhos e de DVDs do Cocoricó, com seu bonecão do Patatá na prateleira do quarto e com os DVDs da Galinha já enfileirados ("É pra escolher só um, senão você fica o dia nesta TV, ouviu bem?!") aguardando o fim da exibição do Peixonauta na televisão... É... Bons ventos nacionais, vida longa e próspera ao mercado infantil 'made in Brazil'! Minha filha agradece por essa boa brincadeira... E viva a criança brasileira!


|

6 comentários:

Marina Queiroz on 13 de outubro de 2012 00:43 disse...

ótimo texto, e a despeito de toda crítica que muitos têm a respeito das cantigas, concordo com vc acho muito legal todos estes que mencionou. Ana letícia assiste e , sob a nossa supervisão, aprendeu muitas coisas legais e enriqueceu o vocabulário.

Thiago Leite on 13 de outubro de 2012 07:31 disse...

Embora seja a favor de uma formação universalista, com livros, quadrinhos, filmes e desenhos de qualquer parte do mundo, penso que há um grande benefício em se valer de produções nacionais no entretenimento infantil, que é não criar a expectativa de que o melhor está lá fora, evitando o desenvolvimento de uma baixa auto-estima e um ufanismo às avessas.

Outra produção que merece ser citada é o desenho animado Princesas do Mar, do escritor r desenhista Fábio Yabu, que começou como uma coleção de livrinhos infantis e hoje é um sucesso mundial no Discovery Kids.

Você faz muito bem em acompanhar e conhecer o que sua filha assiste, pois isso, além de orientar (e se orientar) na escolha do que é melhor para ela, cria uma conexão entre pai e filha, assuntos em comum para conversar e consequentemente uma amizade, importantíssima para a relação paternal-filial.

Poeta Mauro Rocha on 13 de outubro de 2012 18:38 disse...

E viva toda criança!!

Um abraço!

on 13 de outubro de 2012 20:02 disse...

Muito bacana esse novo nicho de produção de desenhos aqui no Brasil. Muitas crianças aprenderão coisas interessantes com a ajuda de criações 100% brasileiras. Quando eu era criança a única produção brazuca era Cocoricó, que parece continuar com a mesma qualidade.
Abraços!

P.S.: Meu blog está no segundo turno do top blog! É só clicar no banner dourado na barra lateral do blog. Conto com seu voto para mais esta conquista!

Surto on 14 de outubro de 2012 11:15 disse...

Caro Dilberto,

Bom e portuno texto, meus filhos já estão em outras fases o menino já e adolescente e a menina está na fase das "princesas", sempre deixei eles terem seus gostos e escolhas, por exemplo o menino nunca gostou ou deu atenção ao Cocoricó sempre gostando mais dos superherois importados já a menina sempre adorou assim como gostou da galinha pintadinha, assim eles vão fomando seus gostos e suas personalidades

Claudinha ੴ on 14 de outubro de 2012 19:41 disse...

Parabéns Dil, parabéns Isabela! Parabéns para nós crianças eternas! É, tenho ouvido falar muito em Pexonauta, Galinha Pintadinha, e uso destes artifícios para poder lidar com pequenos pacientes, mas confesso que não os conheço. Minhas últimas aventuras infantis na tv foram Ra TIM BUM (Cultura, fantástico!), Castelo Ra tim bim, e Júlio na gaita e a bicharada no vocal, cantando o rock rural, cocoricóóóóóó! Depois que Ana cresceu, não conheci mais nada. Eu tive as mesmas referências internacionais que você, mas vivi a gostosura completa da Vila Sésamo, que ajudou a povoar meu universo e colocar caraminholas em minha cabeça. O Sítio, eu tinha o meu, criado na leitura, antes da TV, dentro de minha cabeça e confesso que meus personagens eram mais interessantes... Mas tinha minha própria Sherazade, mamis, que contava as histórias de mil e uma noites como ninguém e fez com que ser criança fosse uma delícia!
Isabela se mostra uma fofura, uma delícia de garotinha aprendendo tudo sobre o mundo. Esta nossa responsabilidade de pais é maravilhosa e, ao mesmo tempo, complicada porque o que passarmos aos filhos é o que vai ficar em sua formação.
Cuidado com os brinquedos defeituosos, troque mesmo! Denuncie também, porque assim eles aprendem a ter mais responsabilidade para com nossos pequenos!
Um beijo grande procê e pras suas mininas moreninhas e lindas!

Amigos & Leitores

 

Google+ Followers

+ voam pra cá

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Quem linkou

Twingly Blog Search http://osmorcegos.blogspot.com/ Search results for “http://osmorcegos.blogspot.com/”
eXTReMe Tracker
Clicky Web AnalyticsBlogBlogs Join My Community at MyBloglog!Personal Blogs - BlogCatalog Blog Directory

Outras cavernas

luzdeluma st Code is Copyright © 2009 FreshBrown is Designed by Simran